Página Alma Pampeana

ADÁGIOS GAÚCHOS
Ninguém é perfeito: só santo, e lugar de santo é no altar ou no céu, não neste mundo.
Homem sem defeito não é bem homem.
Com quem veste saia - mulher, padre ou juiz – não se brinca.
Quem gosta de aglomerado é mosca em bicheira.

ACONTECIDO
12/11/1836 – Guerra dos Farrapos – Criação da Bandeira Rio-grandense. Dia da Bandeira Rio-Grandense.
13/11/1849 – Nascimento de João Cezimbra Jacques – Patrono do Tradicionalismo.
14/11/1844 – Guerra dos Farrapos – Batalha dos Porongos – derrota dos rio-grandenses.
15/11/1894 – Nascimento de Osvaldo Aranha – político, nasce no alegrete.
15/11/1839 – República Juliana – Vitória dos imperialistas em Laguna. Fim da República Juliana.
18/11/1837 – Criação da Brigada Militar
19/11/1863 – Nascimento de Antônio Augusto Borges de Medeiros – Presidente do RS – nasce em Caçapava do Sul.

ACONTECE
19 a 21: 9º Canto de Luz – Ijuí Transmissão: Facebook do Canto de Luz 21
1ª Florada de Versos - Blumenau/SC
Transmissão: Facebook Sentimento e Tradição
* Vem aí mais uma macarronada com meio galeto assado no CTG Vaqueanos do Oeste dia 22 de novembro.
Valor: 35,00
Retirar das 11 às 13 horas
Informações: 9 8859 - 1576

DICIONÁRIO GAÚCHO
ESPORA, s. Indivíduo que em tudo se intromete. Sujeito que aparece onde não é chamado. Intrometido.
ESPARRAMO, s. Separação, disseminação de objetos, de animais ou de pessoas. O mesmo que esparrame.
ENTRAR POR MORTO, Expr. Não ser contado, no negócio, para efeito de pagamento. Ocorre nas transações de gado, quando terneiros, até determinada idade, não são computados na contagem, como se não existissem.
DÊLE QUE DÊLE, Expr. Serve para significar ação continuada: “Era dele que dele, com chuva e com sol, de dia e de noite”, isto é, praticava-se determinada ação, constantemente, ininterruptamente. 

O MTG FORA DO RIO GRANDE DO SUL
O Movimento Tradicionalista Gaúcho é espontâneo, sem objetivos econômicos, políticos ou pessoais. Tem características populares. Ele visa, sobretudo, a afirmação dos usos e costumes nascidos de um povo. Como não defende interesses poçíticos, religiosos, econômicos, de grupos os particulares, numa trajetória espontânea, recebe críticas, mas espalha-se como um rastro de pólvora.
Pelos estados brasileiros, desde do sul até o norte, estão CTGs à cultivas as causas gauchescas. Aqui em Santa Catarina e Paraná os CTGs são frequentados tanto quanto no Rio Grande do Sul, onde nasceram. Possuem seu MTGs próprios. Cada MTG coordena os CTGs de seu Estado. Em São Paulo foi criada a Federação Paulista de Tradições Gaúchas com sede em Itapetininga, com os mesmos objetivos, congregando os muitos CTGs já existentes. Em 9 de novembro de 1996, um Congresso Extraordinário realizado na sede do
CTG Tropeiro Boiadeiro, em Itapetininga/SP, decidiu pela transformação da
Federação Paulista de Tradições Gaúchas (FPTG) em Movimento Tradicionalista
Gaúcho de São Paulo – MTG/SP.
Em maio de 1987, em Ponta Grossa, Paraná, foi criada a Confederação Brasileira da Tradição Gaúcha – CBTG.
De 07 a 09 de outubro de 1988, no CTG Os Praianos, Florianópolis, sob o patrocínio dos MTGs do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, realizou-se o 1º Congresso Federal da Tradição Gaúcha. Reuniu representantes de todo o país, levando discussão e culto às suas tradições.
Os primeiros CTGs fora do Estado do Rio Grande do Sul foram fundados por sul-riograndenses> Receberam nomes como “Desgarrados do Pago”, “Saudades do Rio Grande”, etc. Os brasileiros de todas as querências passaram a cultivas as tradições gaúchas. Sem aceitar o aspecto do alienação, é o próprio Rio Grande do Sul a buscar condições dos outros estados encontrarem o caminho do cultivo de suas tradições.
O Tradicionalismo Gaúcho teve área geográfica do Brasil, Paraguai, Uruguai e Argentina, como Círculo da Tradição, na aprovação do documento de Barbosa Lessa, no IV Congresso Internacional da Tradição Gaúcha, em La Plata, Argentina, realizado em novembro de 1988. São os povos que cultivam o chimarrão.

Fonte: ABC do Tradicionalismo
Autor: Salvador Lamberty
Editora: Martins Livreiro

CULINÁRIA CAMPEIRA
OMELETE CAMPEIRA PARA 04 PESSOAS
Ingredientes: 
1/2 de linguiça – 08 ovos – 02 cebolas – 02 tomates sem casca – 01 pimentão – 01 molho de tempero verde – 01 pimenta verde – ½ xícara de queijo ralado.

Como fazer:
Tire a pele da linguiça e ponha fritar na banha, procurando separar a massa em guisado. Pique os temperos bem miúdos, (cebola, tomate, pimentão, pimenta verde).
Bata os ovos com o tempero verde picadinho e o queijo ralado. Acrescente ½ colher de farinha de trigo, e uma colher de cafezinho de fermento em pó. Ponha os temperos a fritar depois da linguiça pronta.  Quando estiver tudo bem frito, coloque os ovos batidos misturando tudo. Abaixe o fogo, tampe a panela, e quando a fritada estiver firme por cima, pode servir.

Fonte: Fogão Campeiro
Autor: Carlos Castillo
Editora: Martins Livreiro

Android Facebook