Página Alma Pampeana 31/01/2014

ADÁGIOS

Mais a vontade que nem  bugio em mato de muita fruta.
  • Mais afiada que navalha de barbeiro caprichoso.
  • Apertada que nem alpargata de gordo.
  • Amontoado como uva em cacho.
  • Demorado como enterro de rico.
  • Cumprido que nem putiada de gago.
 DICIONÁRIO GAÚCHO
  • GATEADO, Adj. Pêlo de animal cavalar ou muar, que se aproxima do amarelo desmaiado, puxando um pouco a avermelhado. É definido também como amarelo avermelhado e como “baio com as crinas cor de flecha”. O animal gateado apresenta, em geral, rais de mula nos membros e faixa mais escura que se estende, pelo fio do lombo, das cruzes até a raiz da cauda. Há gateados com raias por todo o corpo e alguns possuem a faixa crucial, ou seja, uma faixa que desce pelas espáduas, atravessando, nas cruzes, a do fio do lombo.
  • GASGUITA, s. Rapariga intrometida, desenvolta, desinibida.
  • GAUCHAR, v. Praticar o gaúcho de seus costumes. Mostrar-se ou proceder como gaúcho. Levar a vida que levam os gaúchos. Andar sem paradeiro certo.
ACONTECE

Dias 01 e 02 de fevereiro 2014 – Rodeio Crioulo promovido pelo CTG Antônio Brum em Romelândia – SC. Maiores informações: 49-8431 – 9693 com Patrão Aldemir Giotto.

01 e 02 de Fevereiro de 2014 Rodeio Crioulo em São Domingos promovido pelo CTG Quero Quero. Informações maiores com o Patrão Flávio Kuhn telefone 49 – 9911 – 8595.

ACONTECIDO
LEONEL DE MOURA BRIZOLA
Nascido em Cruzinha pertencia a Passo Fundo depois 1931 Carazinho – RS no dia 22/01/1922, Brizola faleceu em 21 de junho de 2004.
 Filho do lavrador José de Oliveira Brizola, morto de forma bárbara de tocaia (degolado) na Revolução Federalista de 1923, lutando nas tropas de Joaquim Francisco de Assis Brasil, que combatiam os republicanos de Borges de Medeiros e da nonoaiense dona Oniva de Moura Brizola.
Alfabetizado pela sua mãe, começou na escola primária em 1931, em Passo Fundo. Em 1936, matriculou-se no Instituto Agrícola de Viamão, perto de Porto Alegre, formando-se técnico rural em 1939. Nessa época, trabalhou como graxeiro numa refinaria em Gravataí (RS).
Em 1949 formou-se em engenharia civil pela universidade do Rio Grande do Sul.
Em 1945 ingressou no PTB, era simpatizante de Getúlio Vargas. Em 19 de janeiro de 1947, ele foi eleito Deputado estadual. Em 1954 foi eleito Deputado Federal. Em 1955 foi eleito prefeito de Porto Alegre. Sua gestão foi marcada por construção de escolas e melhorias no transporte coletivo. Em 1958 foi eleito governador do Rio Grande do Sul. Criou a Caixa Econômica Estadual, adquiriu o controle acionário do Banrisul, criou Aços Finos Piratini. Encampou a Companhia Telefônica Rio-Grandense. No setor da educação, construiu 5 902 escolas primárias, 278 escolas técnicas e 131 ginásios e escolas normais totalizando 6.302 novos estabelecimentos de ensino.
Considerado o herdeiro político de Getúlio Vargas e de João Goulart, dois ex-presidentes do Brasil, Leonel de Moura Brizola foi um dos mais destacados líderes nacionalistas do país.
Como parlamentar, fez discursos veementes defendendo a implantação da reforma agrária e a distribuição de renda no Brasil. Com a deposição do presidente João Goulart pelos militares, em 1964, Leonel Brizola foi obrigado a se exilar no Uruguai. Somente voltou ao Brasil em 1979, com a Lei da Anistia.
Depois de perder a legenda do PTB, Brizola fundou o PDT, partido pelo qual foi eleito governador do Rio de Janeiro em 1983. Na antiga capital federal, a sua administração foi marcada pela criação de dezenas de Cieps, os centros integrados de educação, copiados por muitos políticos nos anos seguintes.
Cinco anos mais tarde, participou da primeira eleição direta à Presidência da República no Brasil desde o golpe militar de 1964, ficando em terceiro lugar.
No ano seguinte, pela segunda vez, Brizola conquistou o governo do Rio de Janeiro. Com posições firmes em defesa dos produtores nacionais e sempre defendendo restrições ao capital estrangeiro no país, Brizola disputou novamente a Presidência da República em 94, mas a sua participação foi decepcionante, obtendo apenas 3,2% dos votos válidos.
Com a política no sangue, Brizola foi candidato a vice-presidente na chapa encabeçada por Luiz Inácio Lula da Silva em 98 e novamente foi derrotado _os eleitores brasileiros conduziram Fernando Henrique Cardoso à reeleição. No final de sua carreira, mais duas derrotas: a Prefeitura do Rio de Janeiro (2000) e o Senado (2002).
Brizola morreu aos 82 anos no dia 21 de junho de 2004, de infarto decorrente de complicações infecciosas, no Rio de Janeiro.

CULINÁRIA CAMPEIRA
ARROZ COM MIÚDOS DE GALINHA NA PANELA
Ingredientes: (5 pessoas)
1 kg de miúdos de galinha (moelas)
• ¾ kg de arroz 
• 2 cebolas 
• 2 tomates
• 3 dentes de alho
• pimenta do reino
• manjerona e tempero verde

Modo de fazer: 
Limpar bem os miúdos e colocar a fritar, preferencialmente em panelas de ferro. Quando estiverem no ponto, juntar os temperos bem picados (cebola, alho, folhas de manjerona e o tomate). Colocar o arroz, fritando-o por 3 minutos. Pôr a água fervendo até dois dedos acima dos ingredientes. Salgar a gosto, colocar uma pitada de pimenta do reino e o tempero verde picado, mexendo bem. Cozinhar em fogo brando.

Ouvir pelo MediaPlayer Ouvir pelo Winamp Android iTunes Facebook